By

Comunicado

Informações, Real SC

O Real Sport Clube repudia toda e qualquer ação que ponha em causa a justiça e a verdade desportivas.

 

Será que temos justiça e verdade desportivas quando a FPF decide reverter a tabela classificativa da Série D atribuindo 6 pontos ao Casa Pia AC em vésperas de um jogo decisivo?

Que justiça e verdade desportivas temos quando a decisão é conhecida através da comunicação social ao final da tarde com os serviços da FPF já encerrados para que não fosse possível uma reação em tempo útil? A FPF apressou-se a alterar uma classificação quando deveria ter recorrido da decisão do TAD e não o fez.

Que justiça e verdade desportivas temos quando o TAD toma em 9 de Fevereiro a deliberação de confirmar as providências cautelares dos castigos ao Casa Pia dos jogos à porta fechada e da atividade dos dois treinadores e decide indeferir o decretamento das demais providências cautelares, e agora a 48 horas do final do campeonato decide pela reposição dos pontos?

Que justiça temos quando a própria FPF faz tábua rasa das decisões do seu Conselho de Disciplina e de decide acatar as deliberações do TAD?

Nada nos move contra o Casa Pia AC mas que justiça é esta que segundo o regulamento, o treinador principal deve ter pelo menos o Grau II-UEFA B, mas agora o TAD mostra ter uma interpretação diferente dos regulamentos, permitindo assim que quem não cumpre possa tirar vantagem de um incumprimento regulamentar?

Desvalorizando o princípio da equidade, a decisão do TAD acaba por dizer aos clubes que podem contratar um treinador estagiário como técnico principal. Ou há dúvidas sobre quem era o treinador principal do Casa Pia conforme foi denunciado pela Associação Nacional de Treinadores? É muito estranho de facto que se aceite que o nível de exigência de um treinador principal do Campeonato de Portugal ou, por exemplo dos sub- 23, seja o mesmo de um treinador estagiário!

Perguntamos mais: que justiça e verdade desportiva temos quando na sequência do jogo interrompido entre o Olhanense e o Casa Pia, a FPF decide que os dois clubes devem jogar no dia seguinte o tempo que falta, o Casa Pia decide não comparecer mas a FPF decide atribuir-lhe os 3 pontos? Afinal que interpretação faz a FPF do artigo 68 do Regulamento de Disciplina?

E perguntamos mais: num jogo entre dois candidatos não foi exigido previamente o policiamento como acontece noutros jogos nem foi nomeado um delegado ao jogo? Cabe perguntar ainda se, ao que se sabe, este processo ainda não está concluído, porque é que a FPF já atribuiu os 3 pontos ao Casa Pia?

Por último, não podemos deixar de sublinhar o facto do treinador do Real ter sido castigado ao fim de 7 meses e meio, precisamente numa altura crucial do campeonato e por 40 dias, um castigo com uma duração não usual mas que neste caso o impediu de dirigir a equipa até ao final do campeonato.

É estranho e não podemos deixar de perguntar também neste caso que justiça desportiva é esta?

O Real é um clube sério e não aceitará nunca ser desrespeitado e prejudicado por ações e interesses que ponham em causa a justiça e a verdade desportivas!

 

RSC, 12/05/2019

Comments are closed.